24.5 C
Brasília
quinta-feira, junho 13, 2024

Economia: 63 bancos podem falir nos EUA; como isso afeta o Bitcoin?

- Advertisement -spot_imgspot_img
- Advertisement -spot_imgspot_img

Siga o CriptoFacil no
Google News CriptoFacil

O Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC), órgão que garante depósitos bancários nos Estados Unidos, reportou uma situação alarmante. De acordo com o relatório do FDIC, o sistema bancário dos EUA possui US$ 517 bilhões em perdas não realizadas. Ou seja, ativos que estão no prejuízo, mas que os bancos ainda não venderam.

No entanto, o FDIC afirma que se os bancos precisarem vender esses ativos, o resultado pode ser catastrófico. Existem 63 bancos que estão em risco de insolvência no país, o que suscita preocupações sobre a estabilidade da economia norte-americana.

O índice ISM Manufacturing PMI ficou em 48,7 abaixo das previsões de 49,6, apontou para uma contração maior do que o previsto na indústria. Curiosamente, o preço do Bitcoin (BTC) ultrapassou US$ 70.000 após a divulgação desses dados.

Por isso, analistas apontam que o Bitcoin pode se valorizar caso haja alguma nova falência bancária, assim como ocorreu no ano passado com o colapso do Signature Bank e do Silicon Valley Bank (SVB).

Bancos à beira da falência

De acordo com o FDIC, o motivo dessa situação são as taxas de juro mais elevadas e os atraso do Federal Reserve (FED) nos cortes das taxas. Quanto maiores os juros, maiores se tornam os passivos dos bancos, que passam a cair de valor com as taxas mais baixas.

Como resultado, tanto os bancos quanto as empresas nos EUA estão sob extrema pressão. Além disso, o Conselho do Fed encerrou o Programa de Financiamento a Prazo Bancário (FTFP) em 11 de Março. Esse programa concedia melhores condições para os bancos poderem quitar seus passivos.

Ao contrário de anos anteriores, o contexto atual é de custos de financiamento crescentes, rendimentos mais baixos dos ativos e taxas de juros mais elevadas. Se os bancos tiverem que vender seus ativos, o mercado pode enfrentar uma grande onda de falências.

Agora, são nove trimestres consecutivos de perdas não realizadas invulgarmente elevadas desde que o Fed começou a aumentar as taxas de juro em 2022. Durante este período, três bancos declararam falência e isso já foi suficiente para quase gerar uma crise financeira nos EUA, que só não ocorreu por causa da intervenção do Fed e do FDIC.

Vem aumento no Bitcoin?

Se novas falências bancárias ocorrerem, o preço do Bitcoin e de outras criptomoedas provavelmente terão um forte impulso de alta devido a possíveis corridas aos bancos. Afinal, o BTC registrou um forte ganho de 150% em 2023, mesmo ano da falência do SVB e do Signature.

Além disso, o Fed e o Departamento do Tesouro têm medidas planejadas para conter uma eventual falência em 2024, um ano de eleições presidenciais nos EUA. Essas medidas podem ir desde corte nos juros até a volta dos programas de compras de ativos.

Atualmente, os contratos do Fed sinalizam um corte único nas taxas este ano, mas dados favoráveis ​​nos próximos meses podem trazer uma mudança da política monetária já em setembro.

O índice do dólar americano (DXY) caiu recentemente para menos de 105 em meio à queda da inflação e do mercado de trabalho. Até o fechamento desta matéria, o DXY chegou a cair para 104,1. Entretanto, o rendimento do Tesouro dos EUA a 10 anos também caiu para 4,37%, antecipando um possível corte de juros.

Com juros menores, os ativos de risco tendem a se beneficiar, o que pode levar o BTC a voltar a se valorizar.

 

 

Siga o CriptoFacil no
Google News CriptoFacilGoogle News CriptoFacil

[Fonte Original]

- Advertisement -spot_imgspot_img

Destaques

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias

- Advertisement -spot_img